Biologia Celular e Molecular

Estudo sugere que Vitamina D poderia reparar nervo danificado em Esclerose Múltipla

De acordo com uma nova pesquisa da Universidade de Cambridge, uma proteína ativada pela vitamina D poderia estar envolvida na reparação de danos a mielina em pessoas com esclerose múltipla. O estudo, publicado no “Journal of Cell Biology”, oferece significante evidência que a vitamina D poderia ser um possível futuro tratamento para esclerose múltipla.

Os pesquisadores identificaram que a proteína receptora da de vitamina D pareia com uma proteína, a receptora RXR gama, já conhecida por estar envolvida na reparação da mielina, a bainha de proteção que envolve as fibras nervosas.

Adicionando vitamina D às células-tronco do cérebro, onde as proteínas estavam presentes, observaram que a taxa de produção de oligodendrócitos (precursor de mielina) aumentou em 80%. Quando eles bloquearam o receptor de vitamina D, a proteína receptora RXR gama não foi capaz de estimular a produção de oligodendrócitos.

Em esclerose múltipla, o sistema imune do próprio corpo ataca e danifica a mielina, causando a interrupção das mensagens enviadas ao cérebro e à medula espinhal. Os sintomas são imprevisíveis e incluem problemas com a mobilidade e equilíbrio, dor e fadiga severa. O corpo tem uma capacidade natural para reparar mielina, mas com a idade, este torna-se menos eficaz.

O professor Robin Franklin do “MS Society Cambridge Centre for Myelin Repair” e do “Wellcome Trust-Medical Research Council Stem Cell Institute”, que liderou o estudo, diz: “Durante anos, os cientistas têm procurado uma maneira de reparar o dano à mielina. Até agora, a maioria das pesquisas sobre a vitamina D visou seu papel na causa da doença. Este trabalho fornece evidência significativa de que a vitamina D está também envolvida na regeneração da mielina, uma vez que a doença foi iniciada. No futuro, poderemos ter uma droga para reparação da mielina, que funcionará tendo o receptor da vitamina D como alvo.”

A Drª Susan Kohlhaas, chefe de Pesquisa Biomédica da Sociedade de Esclerose Múltipla, disse: “Mais de cem mil pessoas no Reino Unido têm esclerose múltipla e encontrar tratamentos que possam retardar, parar ou reverter o agravamento da deficiência é uma prioridade para a “Sociedade de Esclerose Múltipla”. Nós agora gostaríamos de ver mais estudos para entender se tomar suplementos de vitamina D poderia, com o tempo, ser um tratamento eficaz e seguro para as pessoas com esclerose múltipla. ”

Ela continuou: “Por enquanto, esta é a fase inicial da investigação, que tem sido feito em laboratório, mais trabalho é necessário antes de sabermos se ele é válido em pessoas com esclerose múltipla. Não é uma boa ideia, no entanto, ser deficiente em vitamina D e nós encorajamos qualquer pessoa que acha que seja a consultar seu médico. ”

Em sequência a esta investigação, os cientistas precisam entender mais sobre a biologia acerca deste receptor antes de considerar como o receptor de vitamina D poderia ser, com segurança e eficácia, alvo de estudos em pessoas com esclerose.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s